Saiba como identificar um psicopata

Saiba como identificar um psicopata

COMPARTILHE

Os psicopatas são pessoas com distúrbios mentais causados pela falta e excesso de algumas substâncias necessárias ao cérebro. Tais substâncias permitem distinguir circunstâncias da vida, em vários aspectos, e, a sua falta origina o entreconhecimento nulo de sensações em si e nas vítimas, e de diversas proveniências (cheiros, por exemplo). E, também, a volúpia por o que, aparentemente, os faz bem (consumo excessivo de algo, por exemplo).

Esse grupo de pessoas constitui 1% da população mundial e é alvo de várias pesquisas científicas. Várias destas pesquisas demonstraram que os psicopatas não sentem medo medo, são impulsivas e manipuladoras. Porem, estudos recentes demonstram que tais indivíduos tem ouras características comuns. Confira-as….

  1. Psicopatas não sabem o que é medo

Medo é um sentimento tão comum que nos parece estranho que algumas pessoas não sejam capazes de reconhecê-lo. Mas mesmo com uma expressão facial facilmente reconhecível, os psicopatas não conseguem compreender essa sensação.

Isso ficou confirmado em um estudo realizado na Georgetown University (EUA), em que 36 crianças de 7 a 10 anos fizeram um teste em que era preciso reconhecer expressões faciais. A maior parte delas distinguiu rostos neutros, raivosos e aterrorizados. Porém, aquelas crianças que demonstravam tendências psicóticas simplesmente não conseguiam entender o que as expressões de medo significavam.

Descobriu-se que essa incapacidade está relacionada às amígdalas cerebelosas – estruturas que controlam a resposta ao medo e que são menores nos psicopatas. Essa diferença de tamanho faz com que as pessoas não consigam interpretar o medo, mas, aparentemente, não afectam nenhuma outra sensação.

Isso faz com que os psicopatas também tenham problemas para sentir e demonstrar medo, além de não saberem como responder a esse sentimento. Certa vez, uma psicopata que participava de um estudo semelhante declarou: “Eu não sei como essa expressão se chama, mas sei que é assim que as pessoas ficam antes de eu esfaqueá-las”.

  1. Psicopatas precisam de dopamina

O comportamento desse tipo de pessoa está directamente relacionado à dopamina – um neurotransmissor que activa o centro de recompensas no nosso cérebro, causando a mesma sensação que se tem quando se apaixona, se come ou se usam drogas.

A diferença é que para os psicopatas a necessidade é maior e a sensação é mais intensa – é como se eles fossem viciados em dopamina. Um estudo da Vanderbilt University (EUA) administrou anfetamina para induzir a produção de dopamina em 30 voluntários com tendências psicóticas. Através da radioactividade, os pesquisadores conseguiam medir a quantidade de neurotransmissores produzida e notaram que aqueles que se mostravam altamente antissociais – com um desejo e impulso de controlar os outros – produziam muito mais dopamina do que as outras pessoas.

  1. Psicopatas ocupam cargos altos

Em 2013, num estudo, na Universidade de Oxford (Inglaterra), descobriu-se que muitas das pessoas com distúrbios mentais se tornaram polícias, advogados e cirurgiões. No entanto, a posição mais ocupada pelos psicopatas foi a de director-executivo.

Tal pesquisa confirma os resultados de um estudo de 2010 em que 203 executivos responderam questionários para avaliar seus traços psicóticos. O pesquisador responsável concluiu que 1 a cada 25 entrevistados era psicopata – número muito superior ao índice geral da população.

Essa é uma má notícia para o mundo corporativo, já que os psicopatas costumam ser péssimos líderes e não se dão bem com outras pessoas. Em geral, se eles não conseguem manipular seus empregados, tendem a usar a força e tácticas de terror.

  1. Psicopatas podem ser trolls

Em uma pesquisa realizada por psicólogos de várias universidades canadenses, internáutas responderam a perguntas como: “Quanto tempo você passa online?” e “Você faz comentários no YouTube?”. Além disso, os participantes precisavam indicar se concordavam ou discordavam de frases como “Eu gosto de trollar as pessoas em fóruns ou nos comentários de sites”, “Eu gosto de bancar o vilão em jogos e torturar outros personagens” e “Já mandei pessoas para sites chocantes só por diversão”.

Os resultados mostraram que os trolls apresentam muitas características da chamada “tétrade sombria”, que é uma intersecção de quatro tipos de personalidade – sádica, maquiavélica, narcisista e psicótica. Pessoas com esse tipo de personalidade gostam de ferir os outros, são desonestas e não guardam remorsos por suas acções.

Os pesquisadores também apontaram que existe uma ligação entre essas características e o tempo que se passa a ‘idiotificar’ as pessoas na internet, o que pode dar início a um círculo vicioso de psicopatia.

  1. Psicopatas não têm um bom olfacto

Em setembro de 2013, dois pesquisadores decidiram catalogar todos os odores conhecidos pelo homem. Eles descobriram que os humanos eram capazes de identificar dez tipos de cheiros. Enquanto a maior parte das pessoas não tem problema em reconhecer o aroma de um queijo gorgonzola ou o cheiro de grama recém-cortada, o mesmo não acontece com os psicopatas.

Isso acontece porque as pessoas que apresentam esse tipo de distúrbio mental têm uma menor atividade nos córtices orbitais. Assim, além de afectar sua capacidade de controlar os impulsos, isso também prejudica a habilidade de detectar cheiros. Um estudo realizado na Macquarie University (Austrália) comprovou que, quanto maior a tendência à psicopatia, pior era o desempenho paciente em identificar odores.

Essa descoberta pode ser fundamental para o diagnóstico dos distúrbios mentais. Isso porque os psicopatas são conhecidos por burlar avaliações psicológicas com respostas imprecisas, mas um teste olfactivo seria muito mais difícil de ser defraudar.

MEGACURIOSO

COMENTE PELO FACEBOOK

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA