Artigos ‘A minha mulher curte shows de RAP’

‘A minha mulher curte shows de RAP’

PARTILHA COM A MALTA


O rapper moçambicano, Sick Brain, falou à nossa equipa de reportagem acerca da sua própria visão quanto a aderência de shows de hip-hop pelas mulheres.

De acordo com as declarações de Brain, é possível ter mais mulheres nos shows de hip-hop, e é desnecessário modificar os beats, pois “acredito, que mesmo com os beats de ferro, fazendo-se uma boa promoção, nós possamos ter mulheres nos nossos shows”. Em torno disto, urge que os próprios fazedores de hip-hop façam-se acompanhar pelas namoradas, primas, amigas e colegas, porque “…temos pessoas ao redor que gostam de RAP, que não sejam pura e exclusivamente homens… e a minha mulher, eu levo, quando posso, aos meus shows.”

Portanto, o factor fundamental para ter mais mulheres nos shows de hip-hop é a divulgação, e “para todo o artista existe um público-alvo, é uma questão de promovermos mais as nossas coisas”. Do mesmo modo que se consegue ter um número ‘elevado’ de homens convidando “dois bradas para [irem] aos shows porquê é que não conseguimos convidar uma amiga, uma vizinha para [irem] aos shows?”

Sick Brain11

Actualmente, vários promotores de shows de hip-hop adoptam o sistema Ladies Free que permite as mulheres participarem deles não pagando até determinada hora após o início do show, mas a aderência continua fraca. Não estando indiferente a esta onda, Brain afirma que o método ladies free é viável e “para este show farei até uma certa altura, e a partir daí terão que pagar. Nem que seja para pagarem metade do valor.”

Brain falava a quando da entrevista sobre o show a ser realizado no dia 31 deste mês, no Bar dos Amigos.

Texto: Nigga Shar

COMENTE PELO FACEBOOK