Verbos em Changana

Verbos em Changana

Esta é uma lista com os principais verbos em changana para quem deseja começar a aprender esta língua do sul de Moçambique. Os verbos no infinitivo levam o prefixo “Ku”, como acontece na língua inglesa.

  • Ku Famba – Ir/Andar
  • Ku Fambissa – Guiar/Conduzir
  • Ku Hamba – Fazer (Criações)
  • Ku Helequeta – Acompanhar
  • Ku Humelela – Aparecer
  • Ku Imbelela – Cantar
  • Ku Inguissa – Escutar
  • Ku Kholwa
  • Ku Koma – Segurar/Pegar
  • Ku Kombela – Pedir
  • Kuba – Bater
  • Kuda – Comer
  • Ku Kuma – Encontrar
  • Kutwa – Sentir
  • Kuwa – Cair
  • Ku Langa – Escolher
  • Ku Languta – Observar
  • Ku Lava – Querer/Desejar
  • Ku Lhamba – Lavar-se (corpo)
  • Ku Lhamula – Responder
  • Ku Lhantswa – Lavar
  • Ku Lhaya – Dizer
  • Ku Lomba – Emprestar
  • Ku Navela – Cobiçar
  • Ku Nguirimela – Escorregar
  • Ku Nhica – Dar
  • Ku Nhima – Parar/Esperar
  • Ku Nhiqueta – Dar
  • Ku Panda – Correr
  • Ku Pangalata – Acompanhar (Fazer Companhia)
  • Ku Pfala – Fechar
  • Ku Pfula – Abrir
  • Ku Pfumela – Aceitar
  • Ku Phura – Beber
  • Ku Rila – Chorar
  • Ku Rima – Capinar
  • Ku Sekeleka – Levantar
  • Ku Sugula – Começar
  • Ku Sweka – Cozinhar
  • Ku Teka – Levar
  • Ku Teka – Levar
  • Ku Tima – Apagar
  • Ku Tlhassa – Chegar
  • Ku Tsala – Escrever
  • Ku Tsama – Sentar
  • Ku Tumbela – Esconder
  • Ku Txintxa – Trocar
  • Ku Veca – Guardar
  • Ku Vitana – Chamar
  • Ku Vona – Ver
  • Ku Vutissa – Perguntar
  • Ku Vuya – Vir
  • Ku Xavissa – vender
  • Ku Yala -Negar
  • Ku Yambala – Vestir
  • Ku Yentxa – Fazer (realizações)
  • Ku Yetlhela – Dormir

Até à próxima aula

5 COMENTÁRIOS

  1. Antes de mais, quero fazer das palavras de AB, às minhas. Assim, por mais que a iniciativa seja encorajadora, a mesma está desprovida de algum cunho científico. Ou seja, há regras que regem a escrita das línguas moçambicanas (línguas do grupo bantu). Tais regras, resultam de um grande trabalho em termos de pesquisa na área de Fonética e Fonologia e outras, com vista a adoptar a melhor maneira de representar graficamente os sons da fala humana. Assim, este esforço remota desde dos anos 80, mais especificamente com o Núcleo de Estudos das Línguas Moçambicanas (NELIMO). Com base nisso, em 1988 foi realizado o I seminário de Padronização da Ortografia da Línguas Moçambicanas (Cf. NELIMO, 1989). Este esforço não parou por aí, porque a escrita destas línguas está em constante actualização, foram realizados mais dois seminários um em 1999 (Vide Ngunga e Sitoe, 2000) e outro em 2008 (vide Ngunga e Faquir, 2012). Este exercício permanente visa melhorar cada vez mais a escrita das línguas bantu de Moçambique. Em face disso, olhando para os dados acima expostos nota-se por um lado que ha a escrita de alguns verbos de forma aportuguesada, tais como: ku fambissa, ku helequeta, ku inguissa, ku nhica, ku nhima, ku txintxa e ku vutissa. Por outro lado, não está claro por que é que em muitas formas opta-se por uma escrita disjuntiva, quase em todos dados, excepto nos dados kuda e kuba cuja escrita é conjuntiva. Na verdade, os afixos verbais são escritos conjuntivamente em bantu. Assim sendo, o prefixo ku-, a marca do infinitivo em Changana, deve ser escrito sempre que ocorrer, de forma conjuntiva, por exemplo (com a escrita correcta): kufambisa, kuheleketa, kuyingisa, kunyika, kunyima, kucinca e kuvutisa.
    Para terminar recomendo aos interessados nesta área a revisitarem os materiais de referência sobre a escrita das línguas Moçambicanas supra citados. Outrossim, na Universidade Eduardo Mondlane, no Campus Universitário Principal, na Faculdade de Letras e Ciências Sociais, há uma Secção de Línguas Bantu que pode assessorar e responder quaisquer preocupações sobre as LBM.

    Com melhores cumprimentos!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here