Eventos Chico António reaviva “Memórias”

Chico António reaviva “Memórias”

Um dos mais virtuosos músicos moçambicanos, Chico António, vai repor o concerto “Memórias”, que no ano passado serviu para apresentar o seu mais recente CD, com o mesmo título. O espectáculo faz parte da sua agenda de promoção e divulgação deste álbum que tem cerca de três meses no mercado e largamente consumido pelos seus fãs.

O concerto está agendado para 20 de Fevereiro, no Centro Cultural Franco Moçambicano, e, tal como aconteceu no ano passado, também nesse show, Chico António far-se-á acompanhar de um nipe de instrumentistas seleccionados (amigos de Chico com experiência comprovada e que o fazem por simpatia e admiração).

Chico conta que a história deste concerto tem como ponto de partida falar de “memórias” do artista. Será uma espécie de um “Nkaringana wa Nkaringana” em que ele conta as várias fases que atravessou, social e musicalmente. Essas fases são também, coincidentemente, as etapas que uma certa geração viveu… de uma nação jovem que tem cerca de 40 anos de independência.

Sobre o álbum “Memórias”, Chico António refere que, “o título do disco diz exactamente o que quero dizer, nesta fase da minha carreira, da minha vida. São minhas memórias. Memória do Chico desde que começou a ser músico, digamos de 78 até aqui. É um percurso que traço de mim mesmo, partindo de 1978 e distinguindo três fases, numa carreira de quase quatro décadas. É um pouco da visão que eu tenho, do que fui vivendo, do que fui sentindo e vem retratado nas minhas músicas. Escrevi canções e escrevi poemas que falam deste país. Então, acho que memórias são memórias e este é o sentido deste disco.”

O cantor refere que o concerto do dia 20 de Fevereiro tem a mesma filosofia do show do ano passado, em que se pretendia dizer que “vamos todos abraçar-nos e empreender uma caminhada colectiva. Todos unidos: desde médicos, pedreiros, advogados, camponeses, vendedores ambulantes, estudantes, professores, jornalistas e outros. Vamos caminhar juntos e de mãos dadas, sem distinção de cores: negros, brancos, mestiços, amarelos, índios, etc”.