X

Como Viver Bem Com Pouco Dinheiro

Viver sem dinheiro não é fácil. Significa que você focar-se no que realmente importa e desistir de muita coisa. Você vai desistir do conforto de comprar o que você deseja. Em vez disso você vai ter outra vida: aquela em que você vai ser feliz com o que você tem. Uma vida em que você é obrigado a ser mais criativo para satisfazer as suas necessidades.

A felicidade não está nas coisas

Comida simples e boa, um telhado sobre as nossas cabeças, algumas mudas de roupa, um bom livro, um caderno precioso, trabalho importante e pessoas que amamos e que nos amam.

Pouca ambição, zero pobreza

Pode ter muito dinheiro e muitos bens materiais, mas se está sempre ansioso por mais, será mais pobre do que aquela pessoa que tem pouco e não quer nada.

O presente é que importa

Deixe de preocupar-se com o futuro e de viver no passado. Quanto tempo passa por dia a pensar em outras coisas sem ser onde está e o que está a fazer naquele preciso momento? Quantas vezes não está preso aos seus próprios pensamentos em vez de estar a saborear e a viver o presente, a aproveitar cada momento da sua vida? Viva o aqui e o agora e terá uma vida preenchida.

Seja feliz com aquilo que tem e com o lugar em que se encontra

Não raras vezes, queremos estar noutro sítio, a fazer outra coisa, com outras pessoas, a conseguir coisas que nada têm a ver com aquilo que já temos. Mas a verdade é que aquilo que temos e o momento da vida em que nos encontramos já é fantástico! As pessoas com quem estamos (incluindo nós próprios) já são perfeitas. Aquilo que temos, chega. Aquilo que estamos a fazer, é maravilhoso.

Sinta-se grato pelos pequenos prazeres da vida

Uma mão cheia de framboesas, alguns quadrados de um chocolate delicioso, uma bela chávena de chá – prazeres simples que são muito melhores do que sobremesas decadentes, refrigerantes açucarados e alimentos fritos, se aprendermos a desfrutar deles ao máximo. Um bom livro que trouxe da biblioteca, uma caminhada com uma pessoa amada, a satisfação de uma enérgica sessão de exercício físico, as palhaçadas que os filhos dizem, o sorriso de um estranho, andar descalço sobre a relva, um momento de silêncio enquanto se contempla o amanhecer e o mundo ainda descansa. Estes pequenos prazeres são sinónimos de viver bem, sem precisar de muito.

Deixe-se motivar pela alegria e não pelo medo

Muitas vezes, as pessoas são conduzidas pelo medo de ficar para trás ou esquecido, pelo medo da mudança, pelo medo de perder alguma coisa. Estes não são bons motivos para fazer o que quer que seja. Em vez disso, faça as coisas porque estas lhe trazem a si, ou a quem o rodeia, alegria. Deixe que o seu trabalho seja conduzido pela alegria de fazer algo criativo, valioso, com significado e não pela vontade de manter um certo estilo de vida ou pelo medo de ver esse estilo de vida alterado.

Pratique a compaixão

Compaixão pelos outros cria relações de amor, relações valiosas e cheias de recompensas. Compaixão por si significa que se perdoa por erros cometidos no passado, que cuida bem de si (alimenta-se de forma saudável e pratica exercício físico) e que se ama tal e qual é.

Esqueça a produtividade e os números

No fundo, isso não interessa nada. Se está exclusivamente focalizado em fazer coisas para atingir números (certos objetivos), o mais certo é que já perdeu de vista aquilo que é realmente mais importante.

Se o objetivo é ser produtivo, estará a encher os dias apenas para que possa ser (ou parecer) produtivo e isso é uma perda de tempo. Cada dia é uma bênção e não deve ser sufocado com afazeres, com tudo e mais alguma coisa – procure sempre tempo para desfrutar do seu dia, para desfrutar daquilo que preenche verdadeiramente a sua vida.

Via: Estado Zen / Meio Nerd

Comments are closed.