Textos Reflexão Em Moçambique há racismo de negros para negros

Em Moçambique há racismo de negros para negros

COMPARTILHE

Sim, em Moçambique há racismo de NEGROS PARA NEGROS. Falo dessa parva separação entre Negros e Mestiços… é triste o que acontece. Fingimos que isso não seja um problema nosso, mas convivemos com tais problemas diariamente. Quem nunca ouviu por ai “Seu Mulato sem Bandeira” ou “Mas estes Pretos “? Espanta-me essa forma de pensar do meu povo, revolta-me! “Haaaaa… mulato se não e’ ladrão é mecânico”, “Haaaaa… esses pretos são uns buçais e molwenes”. Atirem-me pedras se estiver a mentir!

Em Moçambique há racismo de negros para negros

É muito triste o que tem acontecido em Moçambique e isso chega a afectar até a politica… não faz muito tempo que os jovens reclamaram pelo facto de, somente os “Escurinhos” (digo escurinhos porque para mim, os mestiços são negros) os ditos “xissiwanas” (coitadinhos ) é que vão à tropa, e que não há lá mestiços e outros argumentos que não vale a pena desenterrar, fez correr muita tinta na imprensa… O que quero dizer é que há uma linha separatória entre nós, os “escurinhos” e os “mestiços”. Linha separatória que se faz sentir no nosso quotidiano. É SÓ VER COMO SE NAMORA EM MOÇAMBIQUE, HAJA SANTA PACIÊNCIA…

O mestiço sai de Moçambique para a Europa pensando que é “mulato” e, ao chegar lá, os nossos amigos de raça branca olham-no como ele olha para mim (“escurinho”), não vêem diferença alguma entre nos. “Vem de África? É BLACK” ok, o dito mestiço acaba se assumindo como negro mas, assim que chega a Mavalane (Aeroporto de Maputo) lá vem a “mulatagem” novamente.

o Escurinho mete na cabeça dos filhos e dos sobrinhos… que “o mulato não tem bandeira”, “não brinquem com mulatos, nem faças tatuagens…”, que dizer, a imagem do “mestiço” na cabeça de muito negro, é sempre associada ao “gangstarismo”…

Cresci brincando com amigos “mulatos” pelas bandas dos TPM … Sei muito bem como olhavam-me os “escurinhos”, como ficavam as minhas tias… quando eu os convidava para um corte de bolo… “Yu, Mersinho, utlanga nivalatu? Unga dzayi mwanaga” (Mersinho, brincas com mulatos? Não fume meu filho)…

SERÁ QUE MOÇAMBIQUE ESTÁ PRONTO PARA RECEBER UM PRESIDENTE MULATO-MESTIÇO? Querem que eu responda?

– NÃO! Sei lá o que iria dar se, algo do género acontecesse, infelizmente o meu povo ainda não está pronto para isso. Não fingimos ser ignorantes?

HÁ CARÊNCIA INTELECTUAL EM AMBAS PARTES, erramos todos e isso, só nos afundará ainda mais (se já não estivermos a afundar…).

Triste caso esse, triste caso meus irmãos…

Profile photo of Chil Emerson David
Emerson David de A. Chiloveque, 24 anos de idade, nacionalidade moçambicana. Estuda Relações Internacionais e História, em Tula, Rússia. Assumiu-se escritor amador há 2 anos. Chil escreve contos, crónicas e artigos para jornais e blogs. Enamorado pela arte, Chil encontrou na escrita a paz que precisa para contribuir para o desenvolvimento e enriquecimento cultural da humanidade.

COMENTE PELO FACEBOOK

56 COMENTÁRIOS

  1. para quem ainda tem duvida disso que va aos balcoes dos bancos e companhias de telefonias moveis, pretinho como eu esta na porta, triste realidade

  2. Aqui no Brasil nos defrontamos com essas mesmas questões, o que mostra que mesmo tendo obtido a independência de Portugal há quase 2 Séculos (1822), ainda estamos distantes da construção de uma identidade nacional. Infelizmente o racismo no Brasil persiste e não da mostra de que o superaremos tão cedo embora há que se reconhecer progressos, por exemplo na atitude de sua condenação por pessoas com melhor formação educacional.

  3. Posso até concordar com esse artigo, mas o verdadeiro problema nessa discução, há que revermos a nossa educação interna, isto é, apartir de bases de que é constituida a nossa própria educação, penso que a questão desse artigo é muito sencivel mêxe com as nossas escolas, se não mesmo com o ministério da educação e cultura, e de certo modo poderá faltar álgo mais nas nossas escolas públicas e particulares se assim considerarmos, na nossa educação famíliar a partir de casa o respeito mutuo é muito importante, coisa muito sêria! Os alunos, pais encarrregados de educação são o melhor veículo de transmissão da moral pública para o futuro melhor onde todos precisamos sentirmo-nos inceridos nessa sociedade sobre tudo em matéria de moral pública. Poderei até precisar sáber em que períudo começa ser notavel o presente rácismo no nosso país no meio social,seja no meio de trabalho e no meio político, antes da independência! Ou anos mais tarde, talvez mesmo apois a nossa independência nacional, anos mais tarde apois o regime socialista??

  4. Cada individuo pertence a um grupo social , se eu sou mestico e natural que vou crescer num ambiente de mesticos , tios , avos, primos ,amigos, eu posso dizer que a descriminacao em Mocambique e mais de Negros contra mesticos , indianos. eu nasci em Mocambique ha 39 anos, meus avos a mais de 90 anos, mais se o sr.quiser saber os dissabores que nao passei na minha infancia ate hoje , com vizinhos negros( pretos) , na rua, escola, universidade nem uma pagina inteira vai caber o despreso que tive.Isso de que os mulatos estranham ,despresam os negros , sao coisas sem nexo, ha pretos que ate preferem conviver com mulatos e vice-versa, cada um e livre de escolher , se eu nasci num ambiente de mulatos e vivo a minha vida assim e meu direito ninguem obriga-me a misturar-me com pretos, mas ha uma grande parte de pretos que nao vem com bons olhos um mulato a ter uma posicao numa empresa, instituicao ate mesmo na politica , ou a ter sucessos no mundo de negocios, so que esses todos que tem olho gordo e lingua suja nao sao donos do mundo , as sociedades desenvolveram-se , nao se julgam individuos pela sua cor mais pelo seus feitos, Deus da a quem quer e os racistas , maldosos ficam a roer-se ate a cova .

  5. realidade, no norte entao esta patente na testa dos cidadaos, ha uma mentalidade totalmente racista, este debate é necessario na nossa sociedade, e foi bem colocado aqui um exemplo " É SÓ VER COMO SE NAMORA EM MOÇAMBIQUE" e digo tbm, como se casa, as amizades, enfim.

  6. mas porque que os misticos sao tidos como negros e nao como brancos???????????????? nao to 100% de acordo com este artigo, pois axo k foi um mistco k o elaborou, mas ele mesmo eskeceu-se k os misticos sao uns dos piores racistas k existem em mocambique.

  7. Não apoio qualquer forma de racismo mas obviamente ha separação pk uns são negros e outros são mestiços logo não é de negros pra negros oras…mania k as pessoas tem d igualar os dois…ainda stou pra perceber se Obama é mesmo negro kkkk

  8. O racismo, para muitos africanos, passou a ser um assunto altamente sensível e delicado, o que é triste e perigoso.Há vários negros que têm a tendência de classificar os mulatos como um grupo coeso, e cuja união radica na sua raça mista. Porém, as coisas não são assim tão simples. Há mulatos que por sua vez dizem que o verdadeiro racista em africa é o negro por este ser altamente complexado.Falam dos mulatos mas o proprio negro na hora de casar vai buscar uma latona ou entao uma branca e faz questao de mostrar tipo ganhou na lotaria….uma coisa tao normal na cabeca de muitos e algo wowww maravilhoso. Antes de mais,gostaria de acrescentrar que,para todos os efeitos,os mulatos sentem-se mais negros do que brancos ao menos no meu caso.Ninguém pode condenar os outros por causa da cor da pele.O facto de se encontrar mais mulatos em cargos superiores não quer dizer que os negros sejam menos qualificados.O problema que se nos apresenta é uma situação que a própria sociedade criou,após a saída do colono.A ideia de superioridade imposta pelos brancos aos negros permanece na mente do povo e isso se reflete no quotidiano palopo,onde os mulatos são os mais bonitos e os mais ricos.Ora,uma ideia completamente absurda mas infelizmente muito presente na mente dos populares.Estes não conseguem compreender o facto de que o mulato é o intermédio do branco e do negro e não um seguidor do branco.O caminho para acabar com este preconceito é o povo criar o conceito de união,porque estamos todos no mesmo barco,negros e mulatos e somos considerados todos de escuros.Se não acabarmos com este preconceito como vamos acabar com o racismo entre brancos e negros?!!eiiiiiiiiiii manos,deixem-se disso!Comecemos a nos valorizar mais!

  9. Tb nao concordo com este artigo, acho que xtas a basear-te muito nas tuas experiencias e estas a generalizar bastante !! O que existe entre os negros e grau de inferioridade esse e o maior problema…Claro que racismo existe, já reparou em negros que ficam alisando o cabelo, pitando de loiro e que só querem namorar brancos? então, puro racismo..As pessoas dizem que alguns negros são racistas com eles mesmos, não aceitam a cor de suas peles eu creio que sim pois basta irem para portugal por exemplo que o modo de falar muda porque isso? se os brancos que vao para africa nunca mudam o seu geito de falar…eu axo que os africanos independentemente da cor da pele deveriam ter mais orgulho em si mesmos e parar de tentarem ser o que jamais serao”brancos”

  10. Hoje esse racismo que na realidade existe, entre negros, brancos e indianos é fomentado para que assim aconteça pelos lambe botas, bajuladores e engraxadores que constantemente lambem o cú, porque não têm armas, classe, muito menos capacidade de saber estar numa sociedade como foi a Moçambicana. Nunca mais e esta situação é aproveitada por terceiros para se governarem…

  11. Mais grave é que se cultiva este tipo de segregação, roçando a maioria das vezes ao ódio! E este tipo de situação é fomentada pelas cúpulas politicas, que ainda continuam a espantar fantasmas do colonialismo. Vivi situações que no mínimo, tocam o ridículo. Em Moçambique, o racismo não é apenas uma questão educacional, é constitucional! Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar. "Nelson Mandela"

  12. Folks, eu pessoalmente nao faco um juizo generalizado da tese aqui em alusao. Existe sim grupinhos de parvos disprovidos de QI capaz de lhes permitir uma auto-identificacao, ou seja, parece-lhes tao complexa a sua simples origem que preferem segregar-se aglotinando-se em biombos similares, ostentando entre si e deixando transparecer a ideia de uma ficticia e tao superficial superioridade. Repito, nao generalizo, mas existe sim.

  13. Enquanto a côr for motivo de classificação muito há para evoluir! Se não se respeita não se pode ser respeitado! Comportamento sempre gerou comportamento e isso vê-se pelos comentários feitos a este artigo!

  14. existe racismo sim, aliás sempre existiu e não era so de brancos, so diz que não existe quem não sabe o que é viver em Moçambique com a situação existente e a cultura herdada do marxismo leninismo deturpado.

  15. Essa do colonialismo e “coitadinhos” já não pega..sejamos proactivos..
    Chega de culpar os outros pela nossa fraca organização mental e estrutural.

  16. De pequenino se torce o pepino, diz o ditado! Vamos educar os meninos na escola com a colaboração dos pais a valorizar todos os seres humanos independentemente de serem mestiços, brancos, negros ou azuis! E acabamos com essas ideias caducas e retrógradas! Ao fim e ao cabo somos todos iguais. É a história dos dois gatos em que um, o pobre, pergunta ao gato que se sentia superior porque vivia numa casa rica: Não mias como eu? Mio! Não caças ratos como eu? Caço! E então…

  17. Eu sou a refleçao deste texto, para quem estudou em Cuba escolas Moçambicanas isto era tem de todos dias. Ainda tenho memorias frecas

DEIXE UMA RESPOSTA