X

Em Moçambique há racismo de negros para negros

Sim, em Moçambique há racismo de NEGROS PARA NEGROS. Falo dessa parva separação entre Negros e Mestiços… é triste o que acontece. Fingimos que isso não seja um problema nosso, mas convivemos com tais problemas diariamente. Quem nunca ouviu por ai “Seu Mulato sem Bandeira” ou “Mas estes Pretos “? Espanta-me essa forma de pensar do meu povo, revolta-me! “Haaaaa… mulato se não e’ ladrão é mecânico”, “Haaaaa… esses pretos são uns buçais e molwenes”. Atirem-me pedras se estiver a mentir!

É muito triste o que tem acontecido em Moçambique e isso chega a afectar até a politica… não faz muito tempo que os jovens reclamaram pelo facto de, somente os “Escurinhos” (digo escurinhos porque para mim, os mestiços são negros) os ditos “xissiwanas” (coitadinhos ) é que vão à tropa, e que não há lá mestiços e outros argumentos que não vale a pena desenterrar, fez correr muita tinta na imprensa… O que quero dizer é que há uma linha separatória entre nós, os “escurinhos” e os “mestiços”. Linha separatória que se faz sentir no nosso quotidiano. É SÓ VER COMO SE NAMORA EM MOÇAMBIQUE, HAJA SANTA PACIÊNCIA…

O mestiço sai de Moçambique para a Europa pensando que é “mulato” e, ao chegar lá, os nossos amigos de raça branca olham-no como ele olha para mim (“escurinho”), não vêem diferença alguma entre nos. “Vem de África? É BLACK” ok, o dito mestiço acaba se assumindo como negro mas, assim que chega a Mavalane (Aeroporto de Maputo) lá vem a “mulatagem” novamente.

o Escurinho mete na cabeça dos filhos e dos sobrinhos… que “o mulato não tem bandeira”, “não brinquem com mulatos, nem faças tatuagens…”, que dizer, a imagem do “mestiço” na cabeça de muito negro, é sempre associada ao “gangstarismo”…

Cresci brincando com amigos “mulatos” pelas bandas dos TPM … Sei muito bem como olhavam-me os “escurinhos”, como ficavam as minhas tias… quando eu os convidava para um corte de bolo… “Yu, Mersinho, utlanga nivalatu? Unga dzayi mwanaga” (Mersinho, brincas com mulatos? Não fume meu filho)…

SERÁ QUE MOÇAMBIQUE ESTÁ PRONTO PARA RECEBER UM PRESIDENTE MULATO-MESTIÇO? Querem que eu responda?

– NÃO! Sei lá o que iria dar se, algo do género acontecesse, infelizmente o meu povo ainda não está pronto para isso. Não fingimos ser ignorantes?

HÁ CARÊNCIA INTELECTUAL EM AMBAS PARTES, erramos todos e isso, só nos afundará ainda mais (se já não estivermos a afundar…).

Triste caso esse, triste caso meus irmãos…

Ver Comentários (56)

  • E' triste dizer...mas e' uma realidade. Principalmente nos bancos onde forma se filas enormes...ha racismo,nos hospitais entao nem digo...deveriamos ser iguais...

  • Posso até concordar com esse artigo, mas o verdadeiro problema nessa discução, há que revermos a nossa educação interna, isto é, apartir de bases de que é constituida a nossa própria educação, penso que a questão desse artigo é muito sencivel mêxe com as nossas escolas, se não mesmo com o ministério da educação e cultura, e de certo modo poderá faltar álgo mais nas nossas escolas públicas e particulares se assim considerarmos, na nossa educação famíliar a partir de casa o respeito mutuo é muito importante, coisa muito sêria! Os alunos, pais encarrregados de educação são o melhor veículo de transmissão da moral pública para o futuro melhor onde todos precisamos sentirmo-nos inceridos nessa sociedade sobre tudo em matéria de moral pública. Poderei até precisar sáber em que períudo começa ser notavel o presente rácismo no nosso país no meio social,seja no meio de trabalho e no meio político, antes da independência! Ou anos mais tarde, talvez mesmo apois a nossa independência nacional, anos mais tarde apois o regime socialista??

  • tudo o que é diferente a nos é preconceito"mentes retrogadas"!enquanto existir diferenças existe cultura!

  • Racismo existe em todo lado. Se envias cv es contactado d acordo com teu apelido.

  • Aqui no Brasil nos defrontamos com essas mesmas questões, o que mostra que mesmo tendo obtido a independência de Portugal há quase 2 Séculos (1822), ainda estamos distantes da construção de uma identidade nacional. Infelizmente o racismo no Brasil persiste e não da mostra de que o superaremos tão cedo embora há que se reconhecer progressos, por exemplo na atitude de sua condenação por pessoas com melhor formação educacional.

  • para quem ainda tem duvida disso que va aos balcoes dos bancos e companhias de telefonias moveis, pretinho como eu esta na porta, triste realidade

Comments are closed.