Empregada revela imundície e perversão de Michael Jackson

Empregada revela imundície e perversão de Michael Jackson

A revelação é polémica: Michael Jackson era “a pessoa mais porca” de Hollywood. Quem o disse foi uma das cinco empregadas de limpeza de casa do rei do Pop, em declarações ao jornal ‘The New York Post’, onde se descrevem pormenores sórdidos sobre a vida do cantor que morreu em 2009.

As empregadas, que trabalharam na casa do cantor entre 1986 e 2004, na mansão ‘Neverland’, em Los Angeles, descrevem os hábitos imundos e a falta de higiene que o cantor começou a revelar a partir de 1993, altura em que foi acusado pela primeira vez de abuso sexual de menores por Jordan Chandler, um menino de 13 anos.

“A vida dele [Michael Jackson] mudou depois de ter pago àquele rapaz para retirar a queixa. Ele era a pessoa mais porca, menos sanitária de Hollywood”, contou uma das empregadas, referindo-se ao pagamento de mais de 20 milhões de dólares (15 milhões de euros, aproximadamente) que Mickael Jackson fez aos pais do menino para os silenciar.

Uma das empregadas conta que o cantor não tinha vergonha de urinar onde quer que estivesse: “Ele urinava, literalmente, no chão da entrada da casa. Era surreal.”

Para além da falta de higiene, as empregadas relatam ainda o abuso de drogas por parte de Michael Jackson, assim como a tendência para coleccionar coisas dadas pelos fãs e lixo, incluindo uma fralda de bebé usada, dada por uma fã. Kristina Fournier, antiga empregada do cantor, afirma ter visto seringas espalhadas pela casa e que o rei do Pop parecia estar sempre drogado.

No entanto, a saúde mental de Micahel Jackson foi também posta em causa quando as empregadas se aperceberam do ódio que sentia por Steven Spielberg, David Geffen e Jeffrey Katzenberg, os criadores da produtora cinematográfica DreamWorks, que afirmava terem roubado a ideia para a empresa, incluindo o logotipo (uma criança sentada na lua). “Sempre que os via na televisão gritava “matem esses bastardos'”, contou uma das senhoras.

Apesar de ter morrido em 2009, o escândalo que envolveu a vida do cantor ainda não acabou. Wade Robson, um antigo amigo e coreógrafo de Michael Jackson, que sempre desmentiu ter sido abusado pelo cantor, deverá agora mudar o seu depoimento. Robson vai a tribunal dia 6 de Outubro deste ano relatar os abusos de que alegadamente foi vítima em criança.

The New York Post