Livro de contos "o mundo que iremos gaguejar de cor" lançado esta...

Livro de contos “o mundo que iremos gaguejar de cor” lançado esta semana

O jovem escritor moçambicano lança neste quinta-feira (31) o livro de contos “o mundo que iremos gaguejar de cor”, no Centro Cultural Português em Maputo.

O evento, que inicia às 17 horas, contará com um bate-papo com autor, moderado por Sara Jonas, numa sessão que contará ainda com uma leitura encenada de Guilherme Roda e com a participação musical de Chico António.

O livro de contos o mundo que iremos gaguejar de cor é a primeira obra de prosa publicada pela Editora Cavalo do Mar, na colecção Pelagem Negra, e a quarta obra publicada do autor.

Segundo Adelino Timóteo, «…ao lermos o mundo que iremos gaguejar de cor, perpassa-nos algo tal que o autor que nos leva ao caos, que desconstrói a realidade, propõe-se não só a criar uma nova ordem, mas sobretudo a espantar o medo, os fantasmas que o dominam e que são a matéria alvo dos seus escritos: a fome, a miséria, a desgraça e corrupção.»

“O Pedro Pereira Lopes é, definitivamente, uma das vozes mais interessantes do novo panorama das letras em Moçambique. Ele gosta de trabalhar os géneros e tem-se revelado bastante ecléctico. Lúcido, inteligente, com sentido oficinal, e um bom leitor, dentro de poucos anos será iniludivelmente uma das figuras cimeiras da nova geração.” Comenta escritor António Cabrita.

Sobre Pedro Pereira Lopes

Pedro Pereira LopesPedro Pereira Lopes nasceu na Zambézia, em 1987. Membro da Associação dos Escritores Moçambicanos, é pesquisador e docente no Instituto Superior de Relações Internacionais.

Obras e prémios:

Setenta vezes sete e outros contos (não-publicado, 2009), 3º lugar no concurso de ficção narrativa João Dias;

O homem dos 7 cabelos (infanto-juvenil, 2012), Prémio Lusofonia/Município de Trofa (2010);

Kanova e o segredo da caveira (infanto-juvenil, Maputo, 2013; São Paulo, 2017);

Viagem pelo mundo num grão de pólen e outros poemas (infanto-juvenil, Maputo, 2014; São Paulo, 2015),

O mundo que iremos gaguejar de cor (contos), Menção honrosa do Prémio Literário 10 de Novembro (Maputo, 2015) e Menção honrosa do Prémio Literário Eduardo Costley-White (Lisboa, 2016);

O comboio que andava de chinelos (infanto-juvenil, no prelo), Prémio Maria Odete de Jesus
(2016).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here