X

Matequenha

Matequenha ou mataquenha é o nome dado pelos moçambicanos da zona sul ao Tunga penetrans, uma pulga com menos de um milímetro de comprimento que penetra na pele causando uma infecção, que consiste numa elevação circular e amarelada da pele com um ponto negro central, que é o último segmento abdominal da matequenha, o qual contém os ovos. As áreas mais afectadas do hospedeiro são os pés, geralmente na planta, ao redor das unhas e nos calcanhares. A irritação no local infectado provoca comichão, dor e pus.

São poucos os moçambicanos, que assim como eu cresceram em zonas suburbanas ou em zonas rurais, e não conheceram a matequenha. Eu me recordo das várias vezes que a minha mãe teve que usar uma agulha para retirar aquela “pulga maldita”.

Eu também já tive matequenha na adolescência e algumas vezes eu já tirava sozinho com um alfinete ou uma agulha qualquer. Alguns dos meus amigos tiravam suas matequenas com espinhos de plantas que nós chamávamos de xipinhosas, que são comummente usadas para fazer a vedação do quintal.

Até hoje as crianças ainda aprendem que não podem andar descalças na época das mangas, porque as flores da mangueira que caem no quintal carregam muitas pulgas que só estão a espera de uma oportunidade para sugar o nosso sangue. Estes animais também são abundantes em pocilgas e currais.

Eu ainda tenho dúvidas se o termo matequenha aplica-se melhor à doença ou ao insecto, uma vez que o insecto solto na natureza aparentemente não passa de uma simples pulga..

Mataquenha (Foto Googlada)

Para quem tem matequenha e deseja ver-se livre deste verme, eu recomendo que use uma agulha esterilizada para perfurar a área onde se encontra a pulga e remove-la. Tenha atenção que a matequenha é um tipo de pulga, por isso é importante retirar o pontinho negro assim como o pus que ela produz. Em seguida use álcool ou iodo para desinfectar o local. A matequelha desaparece em um mês no máximo, então você pode esperar esse tempo caso tenha medo de agulhas.

Previna-se da matequenha neste verão através do uso de calçados, tratamento dos animais domésticos e aplicação de insecticidas no ambiente.

Ver Comentários (16)

  • Eu infelizmente fui vitima a pouco tempo! Por isso aconselho que quem for a Inhassunge ou Chinde na Zambezia e melhor se previnir ao maximo apesar de eu nao acreditar que podera sair totalmente ileso. De oito colegas a fazermos trabalho de campo 6 apanharam e pelo menos 3 apanharam 3 vezes! Naquela zona e uma epidemia e ja esta chegar aos arredores da cidade de quelimane

  • eu curto esse blog, todas noites antes de pegar o sono.... Continuem assim

  • Eu cnhexo bem este matekenha pk ja fui picado tantas vezes na adocescencia e sou perito em estrair estes malditos bixos. Mas cntesto pouco quando o matope k diz k dpois d 30 dias no corpo desaparece nao sente nada. É k na primeira vez k me entrou eu nao sabia, dpois d morrer ai dentro ficou akela carapaça que enquanto nao tirada provocou-me fortes dores e inchaço no pé.

  • Mano, essa foto n eh de matequenha, eh de filaria... tas a mostrar que foste um fraco. kikikikikiki

  • Julieta Arnaldo Muchuane mana, eu conheco bem isso, sou de macuti miqueijo... ai n se brincava... a quem ficcou com 2 dedos por causa desse cena.

  • claro, os tempos foram passando e matequenha era uma coisa muito normal naqueles tempos. kkkkkkkk, matequenha que minha mae sempre mergulhava meus pes em agua quente com adubo, ou lavava-as com petroleo. matequenha que nao conseguia as vezes nem ir a festa porque nao posso calxar aquele sapato, porque os pes estavam cheio de feridas. matequenha matequenha. kkkkkkkkkkkkkk

  • Comment: hum maldita praga que te tira a sua aucto estima,belesa ,,,, ti odeio sua praga maudita ,,,, prixizo de tar interinho pra garinas

Comments are closed.