Cinema Para Coreia do Norte, comédia dos EUA sobre Kim Jong-Un é “ato...

Para Coreia do Norte, comédia dos EUA sobre Kim Jong-Un é “ato de guerra”

Uma nova comédia americana sobre o líder norte-coreano Kim Jong-Un não tem graça para o regime comunista, que denuncia o filme como um “ato de terrorismo” e promete represálias.

Em “The Interview”, Seth Rogen e James Franco interpretam dois jornalistas de televisão que conseguem uma entrevista com Kim, interpretado pelo ator Randall Park, em Pyongyang e recebem a missão da CIA de assassinar o dirigente norte-coreano. O filme foi rodado em Vancouver (Canadá) e tem previsão de estreia nos Estados Unidos para 14 de outubro.

Em um comunicado divulgado pela agência oficial KCNA, um porta-voz da diplomacia norte-coreana chama os cineastas de “gângsteres” e pede a censura. “A realização e divulgação de um filme que mostra um atentado contra nosso líder representa um ato de terrorismo e um ato de guerra absolutamente intolerável”, afirma.

Se o governo norte-americano não proibir o longa-metragem, a Coreia do Norte se verá forçada a adotar medidas “impiedosas de represália”, completou o porta-voz.

Em 2004, o cinema americano também fez piada do regime norte-coreano com a comédia “Team America – Detonando o Mundo”, uma animação dos criadores do desenho South Park na qual o pai de Kim, Kim Jong-Il, era representado como um déspota isolado.

No trailer de “The Interview”, um agente da CIA classifica a Coreia do Norte como o “país mais perigoso do mundo” e explica aos personagens de Rogen e Franco o culto à personalidade da dinastia Kim. “O povo de Kim Jong-Un acredita em tudo o que ele diz, inclusive que pode falar com os golfinhos, que não urina ou defeca”, afirma.