10 Coisas estranhas da gravidez que a mulher não comenta

10 Coisas estranhas da gravidez que a mulher não comenta

PARTILHA COM A MALTA


Gerar vida dentro do ventre da mulher é algo incrível. Para muitas mulheres a gravidez é na verdade uma das melhores coisas do mundo.

A mulher grávida tem a possibilidade de acompanhar diariamente o desenvolvimento do bebé e se emocionar a cada fase que passa. Mas, durante a gestação, existem as partes chatas, como enjôos, náuseas, pés inchados e outros.

Conheça o lado estranho da gravidez que as mulheres geralmente não comentam.

1. Que tem o olfacto e o paladar incrível

Durante a gravidez, o olfacto da mulher aumenta drasticamente, bem como o paladar. As mulheres grávidas tornam-se altamente sensíveis a odores fortes e sabores amargos. Algumas mulheres grávidas podem se tornar excessivamente sensíveis a uma fragrância de perfume ou cheiro de loção para o corpo, enquanto outras podem não ser capazes de tolerar um forte cheiro de um alimento em particular. Por outro lado algumas mulheres queixam-se dum sabor amargo na boca depois de consumir qualquer alimento ou líquido, outras podem ter uma sensação peculiar na boca mesmo quando não estão comendo nada. Acredita-se que olfacto, bem como o paladar ajudam as mulheres grávidas a evitarem o consumo de pequenos níveis de toxinas, não perigosas para um individuo adulto, mas mortais para o feto.

2. Que gravidez pode até durar um ano inteiro

Uma boa parte das mulheres tem tido uma gestão de cerca de 38-40 semanas. Quando a gravidez dura mais tempo, os médicos podem induzir o parto da mulher. Porém é possível uma mulher ficar grávida durante um ano inteiro. Conhecida como gestação prolongada pois ultrapassa 41 semanas – é a insuficiência placentária (placeta envelhecida) que reduz o aporte de nutrientes e oxigénio para o feto o que pode acarretar aumento de morbidade e mortalidade perinatal.

3. Que a mulher não precisa comer por dois

A mulher grávida não precisa realmente comer por dois, salvo em casos em que há ordens médicas específicas. Durante a gravidez, o corpo torna-se mais eficiente na absorção de nutrientes, por isso ao dobrar a quantidade de comida, a mulher não estará a aumentar as chances de ter um bebé saudável, mas sim em ganhar peso excessivo. Lembre-se que as necessidades calóricas da mulher grávida aumentam apenas cerca de 300 kcal por dia, mais precisamente, 100 kcal no primeiro trimestre e 300 kcal no segundo e terceiro trimestres.

4. Que o uso sutiã para dormir é indispensável

Durante a gravidez os seios da mulher alcançam seu desenvolvimento máximo, ficam maiores e dolorosos. O uso do sutiã na hora de dormir acaba sendo indispensável, pois as mamas estão super sensíveis à actuação dos hormônios. Como na gravidez, o peso tende a aumentar, a recomendação médica é usar até mesmo para dormir.

5. Que o feto masculino pode ter erecção dentro do útero

É inacreditável, mas o feto do sexo masculino pode ter erecção enquanto está no útero da mãe. Alguns cientistas afirmam que os bebés de ambos os sexos se masturbam no útero, mas meninos são os únicos que podem ser ‘flagrados no acto’ na ecografia ou até aparelhos de alta resolução podem mostrar esses detalhes

6. Que o pé pode aumentar de tamanho

A gravidez pode alterar permanentemente o tamanho dos pés das mulheres. Conhecida como pé chato, este problema é bastante comum na gravidez, por conta do peso extra e da maior frouxidão das articulações associadas aos hormônios. O pé pode tornar-se mais comprido e mais largo. Isso acontece porque cada vez que a gravidez avança, o corpo começa a liberar a tensão dos seus ligamentos para ajudar com o processo do parto.

7. Que a vagina pode precisar de alguns pontos

O corte vaginal que a mulher sofre durante o parto, é também conhecido como episiotomia, que é um corte cirúrgico feito no períneo (região entre a vagina e o ânus) formada por músculos. Esse processo ocorre durante o parto normal para facilitar a passagem/ saída do bebé. Após o rasgo ou laceração no períneo no momento do parto, a cicatrização costuma ocorrer sem dificuldades. Alguns rasgos só exigem um pouco de cuidado ou alguns pontos, mas os casos realmente maus vão da vagina ao ânus. Massagear a área antes do nascimento da criança pode reduzir a chance de rasgo vaginal.

8. Que as contracções não param com o nascimento

Um número considerado de mães tem contracções até os primeiros dias após o nascimento de seus filhos. As cãibras musculares são a maneira do corpo parar a perda de sangue em excesso. Porém, se você dá à luz no hospital, pode estar ainda muito drogada e provavelmente mal vai perceber o fato.

9. Que a mulher pode evacuar durante o parto

Durante o parto, a mulher pode evacuar, pois quando a cabeça do bebé passa pelo canal de parto pode comprimir o reto, parte do intestino que fica logo atrás do útero e da vagina. Quando o bebé está passando, ele empurra toda essa região. É por isso que enquanto a cabeça passa, a mulher se sente fazendo cocô. Um dos sintomas que as mulheres tem durante o trabalho de parto é a vontade de ir ao banheiro, acontecimento que, pode evitar a evacuação no nascimento ou reduzir a quantidade de fezes expelido. Isso acontece muito, mas os médicos já estão acostumados a limpar, se for necessário. Esse acto é completamente natural e muitas ou algumas mulheres passarão por essa situação.

10. Que o pai pode ter sintomas de gravidez

​Alguns homens podem ficar psicologicamente grávidos. Os homens ficam muito preocupados com a saúde da mulher e do bebé, e apesar de não demonstrarem da maneira igual, também podem apresentar ansiedade, insegurança e até medo. A condição é conhecida como síndrome “couver” significa “chocar”. Ela designa um conjunto de sintomas involuntários associados à gestação, que não têm nenhuma causa física aparente, e que aparecem em alguns homens que vão ser pais. Alguns sintomas da síndrome são vómitos, tonturas, dores abdominais e dentárias, mudança de apetite, fadiga, insónia, problemas intestinais, alteração de peso, entre outros.

Advertisements

COMENTE PELO FACEBOOK

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA