Coisas de Moçambique Noites de Txiling na Cidade de Maputo

Noites de Txiling na Cidade de Maputo

COMPARTILHE

Já é quase uma tradição em Moçambique dar inicio ao final de semana as sextas-feiras. Na a tarde deste dia começam a ser traçados os plano para um longo final de semana de txiling, no final do dia a maioria dos jovens já abandona o trabalho e a caminho de casa começa a preparação para noite que ainda é uma criança, conforme dizem.

Ligar para os amigos, combinar o ponto de encontro, confirmar o local de curticão, e caso se faça necessário, traçar um plano “B”, para quando o ambiente não estiver ao agrado, são os primeiros passos para garantir uma boa noite de sexta-feira.

Com o objectivo de divertir, distrair e esquecer a correria da semana laboral, festas e espectáculos são organizados por promotores de eventos e amadores, com a promessa única de tornar a noite inesquecível.

Neste sentido jovens e adultos enchem as casas noutras da cidade, não importa a estação do ano ou estado do tempo.

fotos s720O frio que se faz nesta época do ano em Moçambique, não desanima a ninguém, aliás como explicam, a curtição no inverno é melhor, porque as pessoas dançam para se aquecer, diferentemente do verão que ficam suadas e depois tendem a se encostar uns aos outros.

Com isso o figurino feminino não se altera, acessórios chamativos, batons e maquilhagem marcante estão na moda. Para vestir na parte de cima o básico, uma blusa transparentes, com decote, estampa forte ou com abertura nas costas são preferenciais, na parte inferior uma saia, calção ou vestido curto, transparentes e com fendas são a preferência entre o clube das jovens.

Image00001 (4)Para os homens o cenário se repete, o frio não impõe barreira alguma no momento de decidir sobre diversão, mas o dress code é outro, calcas skinny ou calções até ao joelho e camiseta ou camisa formal marcam presença, e para acompanhar apenas um relógio e colar.

Image00001 (5)As danças no local são também chamativas, ao ritmo da música, casais se formam, influenciados pelo álcool e outras substâncias tóxicas, dão inicio a uma série de danças eróticas, que antes só era possível presenciar em filmes ou ambientes de muita intimidade.

Image00001 (7)O único problema que preocupa a estes jovens, como consequência de tais comportamentos, é aquele que diz a música do jovem artista moçambicano, Dj Ardiles, “o problema do fim de semana é babalaza na segunda-feira”, esquecendo-se de acidentes de viação causados pela condução em estado de embriaguez e fadiga, transmissão de doenças sexuais, e gravidez  indesejada.

COMENTE PELO FACEBOOK

2 COMENTÁRIOS

  1. Meu amigo Dique, concordo com o seu ponto de vista, infelizmente essa é uma prática típica de moçambicanos e africanos em geral, a mesma consiste em exibir as partes íntimas femininas para os homens e é feita de várias maneiras, uma delas é o caso do vestuário como podemos notar nas fotos e nas ruas em geral, mas tb na dança é fácil notar que enquanto os europeus mexem as mãos e a cabeça durante a dança, os africanos abanam as partes íntimas como se de movimentos da cama se tratassem chamando desse modo atenção aos homens. Porque o fazem? Não faço a mínima ideia, o que sei é que ja virou hábito pois até senhoras de família hoje em dia dançam assim, ainda que seja em suas residências…

DEIXE UMA RESPOSTA