Ernesto Max Elias Tonela

Ernesto Tonela

Ernesto Max Elias Tonela (Beira, 14 de Outubro de 1968) é um político moçambicano. Ministro dos Recursos Minerais e Energia desde 14 de Dezembro de 2017, depois de ter sido Ministro da Indústria e Comércio, desde 19 de Janeiro de 2015.

Vida pessoal de Ernesto Tonela

Ernesto Tonela nasceu a 14 de Outubro de 1968, na cidade da Beira, província de Sofala. Ernesto Max Elias Tonela é casado. Fala Português e Inglês.

Educação de Ernesto Tonela

Ernesto Tonela concluiu a licenciatura em Gestão de Empresas pela Faculdade de Economia da Universidade Eduardo Mondlane (UEM) em 1994. Em 2002, obteve o Diploma em Corporate Management and Finance pelo Centro de Estudos Financeiros, Económicos e Bancários de Marselha, França. Economista/Gestor de profissão, em 2003, concluíu o mestrado em Gestão Financeira pelo Instituto de Administração de Empresas da Universidade de Paris I, Pantheon, Sorbonne, em França. Como docente, foi monitor da cadeira de Economia na Faculdade de Economia da UEM.

Ernesto Tonela participou em diversas acções de formação. Em 1996, participou num estágio na Sydkraft A. B. na Suécia, na área de “Corporate Planning” de holding e na função financeira; em 1999, fez o curso de Financial Decision-markers Workshop, promovido pela UNZ&CO, em New York City, Estado Unidos da América; em 2000, realizou o curso de Project Finance For Emerging Markets, promovido pelo Institute for Public-Private Partnersships (IP3) em Washington DC, focalizado para mercados emergentes e desenvolvimento de técnicas de financiamento de infra-estruturas envolvendo os sectores Público e Privado. Em 2004, paraticipou da formação sobre International Procurement on Goods, Services and Works promovida pelo International Law Institute em coordenação com a Universidade Georgetown, em Washigton D.C., EUA, focalizado nas políticas e procedimentos para aquisição e contratação de bens, serviços e empreitadas e a revisão das práticas adoptadas por várias instituições financeiras multilaterais, com destaque para o Banco Mundial e, em 2013, fez o curso Advanced Management Program, promovido pela Kellogg School of Managment da Universidade de Northwestern.

Carreira Profissional de Ernesto Tonela

Carreira Profissional de Ernesto Tonela

 

No seu percurso profissional, de 1990 a 1992, foi Contact point da “The Ford Foundation” em Maputo, servindo de ligação entre o escritório regional em Harare e os interesses da organização em Moçambique. Entre 1991 a 1992, trabalhou como Economista Júnior no Departamento de Estudos Económicos e Estatísticos do Banco de Moçambique. De 1993 a 1997, foi Economista na Divisão de Planeamento e Controlo, da Direcção de Economia e Finanças da Electricidade de Moçambique. No período de 2007 a 2008, assumiu o cargo de Administrador não executivo na Sociedade de Desenvolvimento do Corredor de Maputo, SARL. De 1999 a 2008, foi Presidente do Conselho Fiscal da MOTRACO, SARL (Mozambican Transmission Company).

Entre 1997 e 2007, ocupou a função de Director de Economia e Finanças da Electricidade de Moçambique, E.P., e, de 2007 a 2015, exerceu o cargo de Administrador Executivo da Hidroeléctrica de Cahora Bassa, S.A.  Ernesto Tonela esteve profissionalmente ligado ao processo de Reforma do Sistema Fiscal.

Em 1999, participou no processo de substituição do Imposto de Circulação pelo Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) e foi responsável pelos estudos do impacto do IVA sobre a estrutura de custo e os preços de venda de energia. De 1996 a 2000, participou no processo de negociações tripartidas entre Moçambique, Portugal e África do Sul, sobre a Hidroeléctrica de Cahora Bassa, como membro do Sub-Comité de tarifas do Permanent Joint Committe estabelecido pelos três Governos.

De 1997 a 1999, participou na concepção, estruturação, modelação financeira e negociação dos contractos do projecto MOTRACO uma Jointventure criada com o propósito de construir e operar um sistema de transporte de energia eléctrica de 400KV, ligando Maputo, África do Sul e Suazilândia, tendo como objectivo principal o fornecimento de energia eléctrica à Fábrica de Alumínio MOZAL.

Entre 1997 e 2004, participou em vários processos de revisão financeira da Electricidade de Moçambique, contratados por doadores/financiadores da empresa, tal como o Banco Mundial, o BEI, o BAD, a KFW, a AFD, a DBSA e o BADEA. De 2000 a 2001, Tonela foi coordenador do processo de elaboração dos termos de referência, contratação e acompanhamento do estudo do tarifário de venda de energia eléctrica que incluía a revisão a nível do preço da estrutura e do mecanismo de actualização do tarifário.

De 2001 a 2002, foi coordenador do processo de elaboração de termos de referência, contratação e execução do estudo para a reorganização da Electricidade de Moçambique, realizado em consórcio liderado pela KPMG, no âmbito do processo de reforma do sector para assegurar a separação de contas entre as actividades de produção, transporte e distribuição de energia eléctrica, com vista a assegurar maior transparência e eficiência de gestão e melhoria de qualidade de serviços prestados. De 2003 a 2005, Tonela participou no processo de implementação do projecto de reestruturação da EDM com a consultoria da KPMG, como responsável pelas actividades na área financeira e membro do comité do projecto.

De 2006 a 2007, participou no processo de definição da estratégia, estruturação e negociação do financiamento para a reversão dos capitais da Hidroeléctrica de Cahora Bassa, na sequência dos acordos entre o Governo de Moçambique e o da República Portuguesa.